Sign up for our Newsletter for lots of free content and information about our events…

* indicates required
Close
Espiritualidade Integral Evolucionaria, Comunidade e Sustentabilidade
Reflexões sobre o Retiro do Homem Desperto

No Projeto Vida Desperta esforçamo-nos para manifestar uma nova cultura, baseada num despertar individual e coletivo para uma não-dualidade evolucionária. O que significa isto? Simplificando, significa que, no nível espiritual mais profundo nós confiamos na percepção de que, enquanto Um, já estamos juntos e, enquanto indivíduos encarnados, somos a expressão criada, original, desse Um em movimento evolucionário e daí a nossa vontade para unir, criar, inovar, tornarmo-nos...

Para viver uma vida entregue e impelido por tão forte percepção é realmente extraordinário e tem um impacto profundo sobre todas as dimensões relevantes da vida de qualquer um. O nível mais profundo do espírito transcendente atemporal está além do género e, portanto, em última análise, nessa realização não há diferença entre nós, enquanto homens e mulheres. Mas, uma vez que se dá o salto da ausência de forma para a forma (como o fizemos!) e abraça o universo manifesto de polaridade e multiplicidade enquanto uma expressão do espírito em ação, então toda a questão de que significam masculinidade e feminilidade autênticas torna-se um fascinante área para explorar e questionar.

O que é uma expressão espontânea de uma masculinidade e feminilidade profundamente libertas no século XXI? O caminho não é claro e o terreno do nosso potencial desconhecido, apela aqueles de nós que são impelidos pelo chamamento do futuro.

Um dos elementos decisivos no meu próprio caminho evolutivo tem sido a profunda confiança, inspiração poderosa, desafio rigoroso e alegre camaradagem que eu experienciei em profunda fraternidade espiritual durante um período de muitos anos. Caminhando junto com outros homens num contexto espiritual profundamente dedicado, no qual o desenvolvimento mais elevado é o valor principal e os padrões do ego são expostos e enfrentados, é um crisol para a real transformação como nenhum outro.

E por isso é uma fonte de grande alegria e satisfação para mim agora orientar um surgimento de autêntica masculinidade desperta aqui em Portugal e não só (atualmente temos dois homens do Reino Unido a juntarem-se a nós via Skype). Na minha própria experiência em conduzir este grupo, sou constantemente desafiado a ir mais longe e a aprofundar a minha própria capacidade para comunhão e carinho e por isso estou feliz a evoluir juntamente com todos os outros!

Há muitas coisas que eu poderia dizer sobre os potenciais que podem ser concretizados num grupo de homens dedicados, e eu espero escrever mais sobre este tema no futuro, mas por agora o que quero compartilhar é a experiência do primeiro retiro de fim-de-semana do Homem Desperto.

Havia um total de dezoito homens, dez dos quais foram participantes no grupo dos homens do Projeto Vida Desperta por algum tempo. Onze dos homens eram portugueses e os demais eram britânicos, americanos , austríacos, alemães, belgas e finlandeses. Portanto, este era um grupo que envolvia diversos contextos culturais. Como a maioria dos homens se conhecia bem e havia envolvido no grupo há algum tempo, a confiança e unidade eram palpáveis desde o início, quando estávamos sentados num grande círculo na sala de meditação. Se, por um lado, eu esperava que o campo de unidade e confiança fosse evidente entre os homens do grupo que já existia, fiquei imediatamente impressionado com o à-vontade e a transparência dos homens que eram completamente estranhos a este tipo de encontro. 

Começámos a manhã de Sábado com um período de meditação silenciosa e, em seguida, reunimo-nos para a primeira sessão, depois do pequeno-almoço. O meu objetivo nesta sessão foi dar uma breve introdução à evolução da cultura humana e mostrar como os diferentes estágios de desenvolvimento: desde o tribal, ao guerreiro, ao tradicional, ao moderno e ao pós-moderno têm todos influenciado o nosso condicionamento enquanto homens, de formas positivas e negativas. A apresentação e o inquérito coletivo criou muito espaço que permitiu ver a nossa natureza enquanto homens e permitiu-nos discernir quais aspectos do condicionamento masculino inibem o crescimento e quais aspectos são expressões genuínas de uma essência masculina liberta. Também explorámos como a “Patriarquia” que, com a ascensão do feminismo e pós- modernismo, tem frequentemente sido culpada por todos os nossos problemas, não tem apenas sido uma questão de homens a dominarem mulheres, mas foi também co-criado por mulheres em dimensões muitos importantes.

À tarde, dividimo-nos em três pequenos grupos de profundo questionar sobre o tema: O que é a expressão autêntica da nossa essência masculina? Então, reunimos-nos novamente para compartilhar o que havíamos discutido nos grupos. O que emergiu foi um retrato rico que sublinhou traços arquetípicos masculinos, tais como força, independência, iniciativa e direção, mas também abraçando a importância da comunicação, vulnerabilidade e empatia, qualidades normalmente mais associadas ao "feminino". Ficou claro para todos nós que, ao abraçar a nossa masculinidade, sem vergonha ou medo, num contexto evolucionário, evitamos a armadilha tradicional/moderna do "macho idiota” arrogante, ou do “cowboy solitário”, emocionalmente desligado, e a armadilha pós-moderna do “tipo simpático da nova-era”, super-sensível, mas fraco, em negação de sua masculinidade. Ao mesmo tempo, procurámos desenvolver e integrar uma sensibilidade mais relacional e comunal, enquanto homens a despertar para a verdade da inter-conectividade. Na medida em que ocorre esta integração, transcendem-se papéis desatualizados e noções do que é considerado "masculino" tradicionalmente e dá-se à luz um encarnar de algo novo, aberto e livre. Uma masculinidade com uma espinha forte e um coração aberto.

Eu senti-me inspirado a incluir estes aspectos para aumentar a intensidade da nossa comunhão e evocar os aspectos viscerais mais positivos da nossa masculinidade. Enquanto nos sentávamos ombro contra ombro em dois círculos concêntricos em torno das pedras quentes em total escuridão, parecia que havia um campo unificado de essência masculina. Entoámos alguns cânticos espirituais revigorantes e nos fundimos enquanto um, num vibrante cântico do OM. Saímos então todos e mergulhámos nas piscinas naturais junto às cascatas, entre rugidos extáticos de riso selvagem e gritar primordial, antes de entrar na tenda do suor para cozer mais um pouco.

Depois de uma reconfortante refeição, reunimo-nos em redor do fogo no fundo do vale para caminhar sobre o tapete de brasas. Este evento foi liderado por João Wandenscheider, um membro do grupo de homens um experiente facilitador que nos contou sobre a história do caminhar sobre o fogo nas culturas xamânica e tibetana nas quais é usado como uma ferramenta para cultivar a intenção pura e demonstrar o poder da mente sobre a matéria na face do medo. Antes de atravessar as brasas, traríamos à nossa consciência algum problema ou aspecto de nós mesmos que queríamos transformar e poderíamos então focar esta intenção sobre o fogo. Deveríamos caminhar em ritmo normal e, se nos queimássemos, o João disse que haveria aí então alguma lição para nós. Ele também criou condições nas quais estava bem em não ter de caminhar. Se decidissemos não caminhar, então aí também poderiamos aprender alguma coisa.

O João juntou o carvão e formou um caminho com eles e ficámos todos em linha em torno do fogo. O silêncio reinou sob o céu de lua cheia, enquanto todos nós concentrávamos as nossas energias internas sobre o calvário antes de nós. Um por um, detivémo-nos diante do tapete de brasas incandescentes. Então, contemplando o fogo, esperámos pelo impulso de andar para a frente em direcção ao fogo ou passar e caminhar em seu redor. Eu nunca esquecerei a intensidade e a dignidade que imbuia a cena, enquanto cada homem enfrentava o fogo numa silenciosa solidão e comunhão.

No Domingo, após outra hora de meditação pela manhã, compartilhámos as nossas experiências da noite anterior e eu fui tocado pela vulnerabilidade e força que brilhava através de cada homem que falava. Isto proporcionou um poderoso contexto para explorar um dos desafios mais profundos para os homens que querem sinceramente transcender o ego. Eu compartilhei como, na minha própria experiência, e na experiência de muitos outros homens com quem partilhei compromisso espiritual, o mais profundo obstáculo pode ser resumido como o orgulho/fraqueza vs humildade/força.

A maioria dos homens está profundamente ligada apenas ao que eles pensam que sabem e geralmente, para homens inteligentes, o apego à mente e ao entendimento intelectual é mais forte. Os homens são condicionados a sentir que eles devem "saber" , ser auto-suficientes , e "fortes" nesse sentido. Enquanto uma tal fachada de confiança pode-nos servir muito bem no mundo e até mesmo impressionar muitas pessoas, quando se trata de verdadeira vida espiritual, mais cedo ou mais tarde, temos que deixar as nossas defesas e confiar num mistério que a nossa mente nunca poderá compreender. Torna-se tudo muito real quando somos confrontados com o desafio de confiar na percepção do outro, mais do que confiar na nossa própria mente. Quão dispostos estamos a ser receptivos quando nos sentimos emocionalmente ameaçados? Quando o nosso apego ao orgulho de "saber" é desafiado, quando é revelado que a nossa auto-imagem de "tipo forte", "tipo simpático" ou "tipo espiritual " não é verdadeira, então muitas vezes os homens colapsam e se separam em fraqueza, e isto pode assumir uma forma agressiva ou pathos.

Qual é então o remédio espiritual para este desafio evolucionário? É a virtude espiritual mais rara e mais duramente conquistada: Humildade. Porquê? Porque significa que temos de suportar ser humilhados, ou seja, ter as nossas estratégias e delírios de ego expostos à luz pura da verdade, sem cair em fraqueza ou recuar em raiva e separação. Mas se estamos profundamente comprometidos com a transformação, em nos tornarmos um servo do espírito, descobriremos a força da alma para nos enfrentarmos uma e outra vez, independentemente das nossas falhas e erros. Este é o lugar onde o apoio de uma irmandade é tão essencial. Ao confiar profundamente na intenção pura dos nossos irmãos, poderemos encontrar a vulnerabilidade para nos expormos. O risco da vulnerabilidade pode às vezes fazer-nos inseguros e ser assustador, mas quando damos o passo para o fogo da verdadeira intimidade descobrimos, muitas vezes para nossa surpresa, que essa humildade vulnerável é a fonte da verdadeira força. Leva-nos além do "saber" para o "não-saber"; para além da superioridade, ou inferioridade, até à comunhão. A nossa fonte de força recém-descoberta está profundamente enraizada nesta rendição, nossa verdadeira independência baseia-se em conexão, e o amor é liberto para animar a nossa presença e propósito em formas que nunca poderiamos ter imaginado anteriormente.

Os grupos de discussão sobre este tema eram tão vibrantes e animados, e eu estava tão feliz em ver homens a explorar estas dinâmicas em si mesmos com tanta honestidade e liberdade. É realmente uma coisa muito rara no mundo, que homens vão além do orgulho e descubram a beleza da verdadeira humildade juntos. É um processo constante de crescimento e aprendizagem, tal como eu aprecio a mim mesmo a cada dia que passa. 

A sessão final do retiro foi sobre um assunto que os homens gastam muito tempo pensando, mas quase nunca falam em conjunto de uma forma séria: Sexualidade . O nosso interrogar foi nas questões: O que é uma relação liberta com esta força, muitas vezes esmagadoramente poderosa? Como é que abraçamos a nossa natureza sexual sem ser controlada por ela? Explorámos também como libertar-nos (e às mulheres) do desejo egoísta da luxúria masculina, de modo a podermos transmutar a energia sexual numa expressão de puro amor que abre as nossas uniões a potenciais mais elevados .

No final do retiro, alinhámo-nos frente às mulheres do Projeto Vida Desperta, que nos apoiaram e preparam uma deliciosa comida para nós, e cantámos uma mensagem de gratidão sincera. Então, foi hora de chá e das famosas "bolas da Mizarela" (doces completamente naturais) a meio de uma explosão de alegria e amor.

Estou muito grato a todos os homens que participaram tão plenamente e os resultados deste retiro definitivamente me inspiraram a fazer mais eventos para homens em 2014.

Aqui ficam alguns testemunhos dos homens sobre as suas experiências:

Peter Bampton

O retiro abrangeu todos os aspectos do que significa ser um homem forte, autêntico e integralmente desperto – de um inquirir filosófico e intelectual de todo o coração e discussões transparentes e profundamente reais sobre as coisas que os homens não costumam falar, até experiências físicas, cruas, dos elementos e de nós mesmos. Quando penso nos homens que participaram de retiro dos homens - os meus irmãos espirituais - eu sinto-me feliz em perceber que todos nós estamos mais juntos do que nunca - eu sinto uma espécie de camaradagem masculina que me fortalece muito e me abre completamente o coração. Acredito que a unidade que estamos a criar tem um sentido e significado que vai além da minha compreensão. Estou profundamente grato pelo tempo que passámos juntos, pelo envolvimento sentido e pela nossa irmandade em evolução.

Marko, Austria

Quero expressar-te a minha profunda gratidão por dares uma enorme morada ao meu anseio espiritual. Desde que eu entrei no grupo dos homens, nunca mais me senti só e a minha confiança na vida cresce cada vez mais forte. Tu és uma grande inspiração e eu estou muito grato pela tua força e persistência. Obrigado do fundo do meu coração. O que eu mais apreciei no retiro foi a expressão de algo além da camaradagem, uma confiança muito profunda. Eu realmente acredito que é a chave para viver no limiar da evolução dos homens, a chave para expressar o nosso potencial. Fiquei com a sensação de que só podemos ir mais fundo.

Robinson, Porto

Numa cultura onde os homens não costumam partilhar sobre si mesmos, os nossos medos, esperanças e sonhos, é realmente uma alegria podermos estar abertos, presentes, verdadeiros, a ouvir e a partilhar, participando de um grupo de outros seres humanos masculinos dispostos a indagar sobre o nosso condicionamento em comum e libertação dele. Na minha memória corporal, um abraço coletivo no escuro ainda ecoa... Nos meus olhos, ainda a imagem de um manto hipnótico de carvão incandescente, como uma noite estrelada, convidando a uma destemida entrega ao mistério da Confiança. Confiar no Universo, confiar em Si próprio, confiar nos seus Irmãos...

Carlos, Lisboa

Foi um grande privilégio poder compartilhar num poderoso fim-de-semana com todos vocês! Eu realmente senti-me aberto e transparente durante o tempo todo e aprendi muito com todas as experiências e conhecimento que todos nós compartilhámos. É incrível o quão profundo podemos ir juntos se passarmos tempo de qualidade como fizemos na semana passada, sendo sincero e humilde com nós mesmos e os outros. Eu nunca me senti tão perto de um grupo de homens como me sinto com todos vocês. Na verdade, eu realmente senti-me como Um... As experiências na noite na cabana do suor, os mergulhos nas cascatas e o caminhar sobre o fogo foram realmente poderosas, íntimas e puras, e eu nunca senti uma cumplicidade e união tão fortes, a não ser com meu próprio irmão! Isto realmente mostra muito sobre quem realmente somos e o que podemos alcançar juntos... Eu sinto-me muito feliz por fazer parte de um grupo com tanto amor e carinho e eu realmente aprecio o tempo, esforço e dedicação que o Pete investe em cada um de nós e em todo o grupo! Obrigado por nos mostrares sempre o que é possível e por liderares o caminho... Eu também gostaria de mostrar o meu apreço pelo amor, carinho e apoio de todas as mulheres da família ALP! Com elas a evoluirem conosco, a vida que elas irradiam, um brilho e alegria que nos fazem sentir ainda mais vivos e acordados...

Ricardo, Porto

Para mim, o Retiro dos Homens foi uma oportunidade de olhar mais profundamente para a minha alma, num contexto de fraternidade e apoio, e começar a enfrentar as estruturas fundamentais que precisam mudar no meu próprio ser. O retiro deu-me o espaço pra ser vulnerável e honesto comigo mesmo e ver que o que eu enfrento não é exclusivo só a mim, mas é o mesmo condicionamento que muitos outros têm . Foi uma oportunidade para considerar o que é a masculinidade autêntica e começar a abraçar as qualidades positivas do meu género.

Glen, USA

Enquanto um grupo de homens interessados em despertar espiritualmente, reunimo-nos para uma investigação séria sobre o condicionamento masculino, na qual destacámos os valores que somos capazes de exibir, bem como as patologias correspondentes às que devemos estar conscientes, a fim de ter uma transformação positiva com impacto sobre o processo evolutivo. Nós revimos os estágios de desenvolvimento das sociedades, em termos de uma perspetiva do mundo, de modo a tornarmo-nos mais conscientes sobre a sua integração e ter uma melhor compreensão sobre a maneira como nos sentimos diante dos seus padrões típicos. A cabana do suor funcionou como um processo de iniciação numa cultura tribal que geralmente, enquanto homens pós-modernos, muitas vezes louvamos, mas raramente experienciamos, e o caminhar sobre as brasas fez a nossa intenção passar por um teste de fogo! Pessoalmente, forneceu uma resposta clara e abriu uma porta para um novo estágio de desenvolvimento.

Joao P, Porto

Este retiro fez-me ver como há uma necessidade de viver uma vida com mais clareza e responsabilidade , tanto individual como coletivamente, por oposição a uma vida sem sentido que é narcisista e vitimizada pelas minhas próprias atitudes. O ambiente, o ensinamento, a comunhão, a vulnerabilidade e a vontade de todos os que queriam transcender foi uma inspiração e tocou-me o coração profundamente, levando à rendição e à clareza pelo caminho a seguir .

Duarte

, Madeira

Depois deste fim-de-semana evolutivo, quero agradecer a oportunidade de ter feito parte deste grupo. Ser parte destas experiências realmente ajuda-me a concentrar no meu caminho espiritual para a evolução, na medida em que nós criámos um ambiente tão especial que abre a porta para um nível profundo de comunicação e de partilha. Este retiro fez-me querer ser um homem autêntico. Este retiro fez-me querer honrar o legado que eu tenho do meu pai e avós, a sua capacidade de ser inteiro e sábio, reunindo uma série de dinâmicas em torno deles. Estas são as qualidades que eu quero reviver e levar adiante na direção da nossa evolução, para que todos possamos aprender com a sua - e a nossa - experiência e nos tornarmos mais e mais Integrais.

Joao S, Leiria

O retiro dos homens trouxe-me uma espécie de despertar masculino, a consciência de uma nova fonte de força masculina. O Peter ofereceu camadas ricas e densas de informação e questionamento sobre os nossos dilemas culturais, históricos e biológicos enquanto seres humanos masculinos. A nossa investigação coletiva, num ambiente de transparência e confiança, revelou quão universais e impessoais os nossos medos são, assim como é a nossa falta de identificação pós-moderna com ser um homem. Isso, por si só, forjou um forte sentido de comunhão de grupo, mas foram as experiências não-intelectuais – como a tenda do suor tribal, o mergulho nas cascatas durante a noite e a experiência mágica de caminhar sobre o fogo sob a lua cheia - que trouxeram até nós o incrível poder transformador do retiro, numa verdadeira fraternidade sincera. Pela entrega total, deixando de lado a mente e mergulhando na forte humildade em não-saber, uma verdadeira mudança aconteceu. Estou a viver uma masculinidade desperta - e a despertar - no coração. Eu não a percebo bem, mas é espetacular! Estou deslumbrado e ansioso pelo que está para vir!

Rafael, Lisboa

Eu ainda estou surpreso e profundamente tocado pelo fim-de-semana que compartilhámos juntos. Eu realmente sinto que agora estou a compartilhar uma viagem com todos vocês, e sinto-vos calorosamente como meus irmãos. O fim-de-semana começou de maneira tão poderosa para mim, com a apresentação da dinâmica da espiral por Pete . Isto, para mim, realmente abriu-me para a compreensão dos diferentes níveis de consciência através dos quais nós, enquanto espécie, evoluimos. Não só me ajudou a compreendê-lo num nível intelectual, mas também me senti como se começasse a aceitar partes de mim que eu estava a negar, e assim fragmentando-me como ser humano. Esta foi uma libertação para mim, e ainda havia muito mais por vir! Eu gostei de todos os aspectos, desde as profundas contemplações com alma que tivemos juntos, rindo, cantando e suando na cabana do suor. E no fim-de-semana senti-me tão carinhosamente apoiado, não só pelas mulheres maravilhosas, mas também pelo forte e dedicado “ethos” do Projeto Vida Desperta e todos os que fazem parte dele. Um exemplo brilhante de como uma comunidade em evolução pode quebrar as paredes da prisão da separação e iluminar o caminho para viver o nosso verdadeiro e magnífico potencial.

David, UK

Compartilhar este retiro inspirou um enorme desejo de mudança dentro de mim. Depois de toda a reflexão, é claro que a resposta para a questão do que significa ser um homem desperto no século 21 encontra-se em cada um de nós. Se formos humildes e estivermos abertos, e estivermos cientes dos nossos limites e barreiras, tudo é possível.

Pedro L, Serta

Durante este evento, eu experimentei uma magnífica proximidade com o mais autêntico em mim! Foi um fim-de-semana altamente desafiador, que trouxe total contato com os meus medos e com o meu lado sombrio. Não é isto um grande desafio? Crescer, para mim, é estar na verdade absoluta comigo e com todos vocês. Uma comunhão face-a-face, livre de vitimização e narcisismo e unidos numa responsabilidade partilhada por crescer coletivamente.

Marco, Lisbon

Este retiro de homens foi muito forte para mim. Polo interesse e qualidade dos temas que apresentas-te, e por todos os testemunhos que feitos com tanta sinceridade e vulnerabilidade. Por ter sentido uma verdadeira irmandade, e nessa irmandade ter sentido quanto impessoal é o que me condiciona.
Por ter sentido uma verdadeira união, quando meditamos, quando estávamos nos grupos de discussão, quando te ouvíamos falar, quando conversávamos nos intervalos...Porque graças ao firewalking pude confrontar o medo que me tem impedido de evoluir espiritualmente. Pela forte conexão com o todo que senti no sweatlodge, e a explosão de liberdade que tive quando mergulhei na água fria das cascatas. Mas acima de tudo, pela paz e serenidade que tudo isto me deu.
Grato a ti, aos meus irmão do grupo, e a todos os outros homens que fiz meus irmãos.

Edy, Lisbon

 

Subscreva a nossa newsletter

Sobre o projecto

O Projeto Vida Desperta está situado em uma reserva ecológica bela e selvagem nas montanhas Central Portugal. Oferecemos programas de voluntariado, cursos, eventos e retiros para apoiar a libertação do espírito humano em um contexto de emergência evolutiva e comunhão com a rede ecológica da vida.

Contactos

Quinta da Mizarela
3305-031 Benfeita
Portugal

info@awakenedlifeproject.org
Facebook Page
Twitter
Youtube Channel

Subscreva a nossa newsletter