Sign up for our Newsletter for lots of free content and information about our events…

* indicates required
Close
Espiritualidade Integral Evolucionaria, Comunidade e Sustentabilidade
O Propósito Último da Meditação!

Escrevi a seguinte carta dirigida por email a uma companheira de retiro e também jornalista que redigiu um artigo acerca do retiro de meditação pelo Jornal Público, na tentativa de esclarecer melhor com o meu ponto de vista a uma questão colocada por ela mesma nesse retiro. Uma vez que o texto acaba por retratar uma boa parte da minha jornada e experiencia nos retiros com algumas ilações interessantes, o Pete sugeriu-me que partilhasse este texto com todos os interessados nestes retiros...

Lembro-me que perguntaste, "se é possível ter uma experiencia profunda logo num primeiro retiro, para quem é iniciante". E sim, é isto que eu queria partilhar contigo:

Eu fui uma dessas pessoas que teve uma experiencia fantástica num primeiro retiro. O primeiro retiro que fui com o Pete, fui com o meu companheiro Alexandre e foi em Maio do ano passado. No primeiro dia (sabado) não sabia o que estava ali a fazer, foi mais duro do que eu pensei, cheguei a achar que devia ser doida varrida por estar ali, que estava cheia de dores de joelhos, costas, etc, que eu "metia-me sempre em cada coisa". Tinha um misto de querer ir dali para fora, mas ao mesmo tempo,tinha uma curiosidade enorme, sobre tudo o que o Pete transmitia. No fundo, sim, queria saber quem eu era, e mexeu comigo quando ele falou acerca de: " se tu não te chamares Patrícia, não fores enfermeira, não fores portuguesa, não fores filha de quem és, namorada de quem és, etc, etc, continuas a ser tu....tiras todas as camadas de identificação com o que quer que seja que te estejas a identificar, e na tua essencia continuas a SER (quem?)... isto tocou-me mais fundo do que a minha mente poderia alcançar, e...lembro-me que na meditação a seguir tive hiatos de tempo que devem ter durado milissegundos em que senti um vazio, um NADA e em que a pergunta nem era exactamente quem eu sou, a sensação foi O que SOU? Pois a sensação que tive não foi de alguem nem de alguma coisa, nem sequer havia substantivo para descrever a pergunta como eu a queria, houve uma sensação de Nada, mas ao mesmo tempo de vastidão.

Bem isto passou, mas ficou. Uma iniciação para o primeiro dia. Lembro-me que por vezes na meditação o meu coração ficava bastante acelerado, penso que começava a sentir que estava a ir para algum lugar desconhecido como se sentisse medo. Na altura descrevi isto ao Pete e houve outra participante (por curiosidade também enfermeira) que descreveu exactamente as mesmas sensações que eu. Foi o meu primeiro dia. Fui para a cama ler o papel. Não sabia o que me esperava no dia seguinte. No domingo acordei com mais "disposição para o retiro". Já não sei exactamente qual foi a meditação, julgo que foi a seguir a um Q&A. Tive nessa meditação A EXPERIENCIA, em termos de transcendência, a tal experiencia profunda que se calhar falavam.

O que aconteceu, tentando descrever, foi que a meditação foi muito rápida..ou melhor, foi igual, 45 min, mas para mim pareceram-me uns 10 minutos apenas, é como se tivesse saído da dimensão do tempo. O pete tocou a taça, e breves instantes depois a taça tocou outra vez a terminar a meditação..O meu corpo estava imóvel e não me apetecia saír dali, estive mais algum tempo e levantei-me. ao abrir devagar os olhos, Tudo o que eu Via e Sentia era tão fresco e novo. Eu nem sei explicar. A sensação que melhor descreve talvez seja a expressão "tiraram-me a venda dos olhos". As vezes sinto que ando cega no meu dia-a-dia, como se soubesse que todos temos mais potencial e apenas utilizamos 10% das nossas capacidades. Como se eu soubesse que havia mais para ver, mas estivesse adormecida como um robot na rotina do seu dia-a-dia com potencial para despertar.

Nesse momento, isso aconteceu: olhava para tudo como um bebé que acabou de nascer e está a ver o Mundo pela primeira vez. A percepção estava aumentada. Cada gota de água era um milagre, cada folha de qualquer planta, qualquer pessoa que me passasse à frente era Bela aos meus olhos. O almoço aconteceu logo a seguir e a comida..Meu Deus..que Sabor...Nunca mais me vou esquecer desta Sensação. Isto estendeu-se para um outro "fenomeno", foi a Sensação de Sermos Todos Um no verdadeiro sentido da Frase. O que eu sentia em relação a isso era tão forte, como se todos os presentes no retiro formassemos uma única entidade palpável em bloco. Houve um senhor, um dos participantes desse retiro, que teve que sair mais cedo, por razões profissionais. Despedimo-nos dele em silêncio com um Abraço. A sensação que tive foi que estava ligada a ele de uma forma tão forte, como se ele fizesse parte de mim e de nós todos, como se uma parte de Nós estivesse a ir embora. Foi estranho, forte e incrível. Eu nem sequer sabia o nome daquele senhor. Como é que eu sentia aquilo.... e sei que ele também nos sentiu a todos ao ir embora, pelo testemunho que ele deixou posteriormente.

Esta sensação durou algumas horas...independentemente de eu a continuar a sentir ou não, a realidade à nossa volta não se altera, apenas pela forma particular como eu a estou a experienciar. Posso dizer-te que senti a Verdade, porque dentro do meu Coração foi muito Claro. Independentemente de no meu dia-a-dia me sentir triste, alegre, na perspectiva do Universo, que é superior e transcendente à minha pequena perspectiva, as coisas são tal como são : )

O que tenho a partilhar contigo não tem exactamente a ver com esta experiência (porque foi Apenas uma Experiencia). Tem a ver com o que percebi a seguir.
Nas meditações seguintes, (como é óbvio) eu achava que ía chegar facilmente àquele lugar. Tinha expectativa. Fazia as "3 regras" a pensar, bem, vou fazer isto e vou outra vez ter aquelas sensações todas, porque achava que era isso que era esperado de uma meditação. Tinha meditações difíceis outras mais fáceis, mas de facto, não estava a ter exactamente aquela experiencia. Tive outro tipo de sensações, as vezes deixava de sentir parte do meu corpo, como as mãos e os pés, outras vezes não tinha sensações nenhumas, as vezes era muito difícil e estava ansiosa que a meditação terminasse porque me queria mexer, outras vezes não meditava porque achava que não valia a pena e que dentro em pouco talvez começasse a meditar a serio e que se calhar ainda não estava preparada. Ou seja, de certa forma eu estava a espera de algo e de certa forma estava a haver uma certa frustração durante cada meditação. Porque eu ainda não tinha entendido verdadeiramente o significado da meditação. Estava a confundi-lo com o "ter uma experiencia em particular".

Alguns meses depois, 2 ou 3 coisas que o Pete disse tiveram significado para mim. Uma é que "Isto" não é algo que se possa possuir. É Tudo, é Nada. É Sagrado, Divino. É algo tão Puro e paradoxalmente tão Poderoso e tão Subtil que nos sustenta a Todos invisivelmente. Se se quer possuir, estamos a entrar numa vibração completamente diferente deste Todo/Nada e o mais provavel é que não aconteça nada disso...

Outra coisa importante que ele partilhou teve a ver com uma experiencia da Vida da Madre Teresa de Calcutá. O Pete referiu (apesar de ele assumir que não estava completamente dentro de todos os detalhes da vida desta personagem) que tinha lido algo interessante acerca desta senhora. Que a Madre Teresa teve uma única experiencia transcendente em toda a sua vida, e que esta lhe foi suficiente para lhe revelar a Verdade e qual o seu Caminho. Ela percebeu que não precisava de voltar a ter qualquer experiencia transcendente, para se manter firme no seu propósito e no seu caminho. Mesmo que não voltasse a ver ou a sentir ela sabia. E prosseguiu sempre.

Isto foi importante para mim, pois compreendi que a Meditação não se trata de uma experiencia. É bem mais do que isso. É um trabalho para a Vida. Se a Experiencia acontecer, é muito agradável, de facto, experienciam-se sensações boas. Para mim talvez tenha sido importante para me mostrar/iluminar o Caminho "Agora já sabes, continua".

A terceira coisa teve a ver com frustração. Nunca nos devemos sentir frustrados independentemente de como nos sentimos durante a meditação, seja esta agradável ou desagradável. É importante não ficarmos frustrados, pois estaríamos a dar importancia "à voz do ego"e a alimenta-lo. Mais vale ignorá-lo. Aceitar o que vem. Aceitar o Universo. Na nossa vida, o que nos rodeia nem sempre é agradável e é importante ter consciencia acerca da forma como nos relacionamos com o envolvente, como nos "apegamos aos problemas". Quando ouvi isto, uma tensão saiu de mim e senti-me livre. Não importava que corresse mal ou bem, que fosse difícil ou fácil. O objectivo não é ter uma agradável meditação ou uma "agradável" experiencia isso são acasos que podem acontecer com a meditação.

O "objectivo" é tornarmo-nos mais conscientes do envolvente e da relação que temos com o envolvente. O que importa é meditar, e estar firme mesmo no meio do caos, independente de todas as circunstancias. Insisti. percebi que à medida que ía fazendo isto, meditando, mesmo não sabendo muito bem porquê, (se calhar porque confiava na experiencia de pessoas que meditam há mais de 20 anos), algo me começou a acontecer na minha vida. A minha relação com a vida começou a mudar. De facto teve e está a ter um impacto. Sem saber, enquanto me sentava a meditar, mesmo no meio do caos, tornava-me mais consciente e ao mesmo tempo, uma serie de coisas estavam a ser trabalhadas.. A nivel pessoal ganhei mais clareza, mais objectividade, mais discernimento, mas isto são só pormenores. Sinto-me mais humana e mais livre. Livre de uma série de condicionamentos culturais, biologicos, geograficos...

Respondendo à pergunta "preferes ser uma livre expressão da consciencia ou preferes ser insegura?" (sendo a insegurança um condicionamento humano que bloqueia a livre expressão de quem SOU), eu repondo: "prefiro ser Livre"...

E por isso, como tenho interesse em continuar ligada a este projecto, alguns de nós daqui do Porto, participantes num retiro, decidimos criar um grupo de meditação semanal no Porto, para nos continuarmos a encontrar e a manter viva a intenção de meditar (por vezes a intenção não vinha, mas sabiamos bem que era importante e, em grupo, inicialmente era mais fácil, era como se nos puxassemos uns aos outros).

Decidi tirar o curso de Evolução de Consciencia do Pete pois sempre fui ávida de respostas para as minhas questões existenciais e o curso foi e tem sido brutal.
E decidi fazer parte de um grupo de mulheres "evolucionarias", orientadas pela Cynthia, que juntas, uma vez por mês, quebramos conscientemente alguns condicionamentos do ego feminino e tornamos livre uma parte de nós.

Neste momento medito todos os dias, acordo mais cedo com esse propósito. Sei que é tão importante e estou feliz por, gradualmente a ter conseguido instalar a meditação na rotina da minha vida, pois sempre fui muito indisciplinada e considero esta mudança fantástica.

Não medito só para mim. Não medito apenas para ir com mais disposição para o trabalho, ou para ter mais objectividade ou mais clareza. Isso é tudo importante, claro. Medito por uma razão maior do que a minha vida pessoal. Ao meditar por mim também tem um impacto nos outros, pois se eu mudar para melhor, para mais consciente, tenho um impacto positivo naqueles que me rodeiam.

Mas acima de Tudo isso, está uma Força Maior. Uma Força (para mim, a mesma força e inteligencia que criou on Universo), que se quer expressar através do ser humano. Ao meditar, crio espaço, torno-me um veículo de expressão desta Força, desta Consciencia. Quando mais e mais pessoas meditam, está a acontecer que elevamos a consciencia do planeta como um Todo. E isso sim é para mim o propósito último da Meditação!

Patricia Fonesca

Subscreva a nossa newsletter

Sobre o projecto

O Projeto Vida Desperta está situado em uma reserva ecológica bela e selvagem nas montanhas Central Portugal. Oferecemos programas de voluntariado, cursos, eventos e retiros para apoiar a libertação do espírito humano em um contexto de emergência evolutiva e comunhão com a rede ecológica da vida.

Contactos

Quinta da Mizarela
3305-031 Benfeita
Portugal

info@awakenedlifeproject.org
Facebook Page
Twitter
Youtube Channel

Subscreva a nossa newsletter